Outras Notícias   |   Veja também as notícias do Senac

26.11.2010

Câmara dos Deputados realiza debate sobre a terceirização de serviços no Brasil

BRASÍLIA - Pensando em discutir o cenário atual da terceirização no Brasil, uma iniciativa da Comissão de Trabalho de Administração e Serviço Público (CTASP) da Câmara dos Deputados, em parceria com o Sistema Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC-Sesc-Senac) realizou, no dia 23, no auditório da TV Câmara, em Brasília, o seminário "Terceirização e desenvolvimento: vantagens, responsabilidades e regulação".

O seminário discutiu os novos rumos dos serviços terceirizados no Brasil e sua contribuição para o desenvolvimento econômico e social do país, e contou com a participação de parlamentares da Câmara e do Senado Federal, gestores públicos, lideranças empresariais e trabalhadores. No evento, foram abordados temas referentes aos modelos de terceirização adotados nacional e internacionalmente e suas potencialidades para a economia e o desenvolvimento local.

Entre os convidados, estavam o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (recém-eleito vice-presidente da República); o presidente do Senado, José Sarney; o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi; o presidente da CTASP da Câmara, Alex Canziani, anfitrião do encontro; a presidente da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, Rosalba Ciarlini; e o presidente do Sistema CNC-Sesc-Senac, Antonio Oliveira Santos.


26.11.2010

Oportunidades de qualificação movimentam o Senac no Rio Grande do Sul

PORTO ALEGRE - Moradores de 46 municípios do Rio Grande do Sul participaram, no dia 20 de outubro, da 5ª Feira de Oportunidades, evento aberto ao público no qual foram promovidas mais de 200 atividades entre palestras, oficinas, workshops e ações de orientação profissional. Tudo gratuito e promovido pelo Senac/RS.

O tema escolhido para edição deste ano foi "Educação para o trabalho. E para a vida". Pela primeira vez, todas as unidades de Porto Alegre (Faculdade de Tecnologia Senac/RS, Faculdade de Administração Senac/RS, Senac Passo D’Areia, Senac Informática, Senac Comunidade e Senac 24h) se reuniram e promoveram uma programação especial no Largo Glênio Peres, em frente ao mercado público da capital. Quem esteve presente pôde conferir e se beneficiar dos serviços de cabeleireiro, massagem, manicure, medição de pressão, além de oficinas com dicas de nutrição, informática, idiomas e orientação profissional.

Realizada duas vezes por ano, a Feira de Oportunidades já figura como uma das mais importantes ações de incentivo à qualificação profissional no Rio Grande do Sul. Para Zildo De Marchi, presidente do Sistema Fecomércio/RS: "É nosso compromisso dar acesso à educação e ao aperfeiçoamento profissional para o mercado de trabalho. Temos convicção de que esta iniciativa é fundamental para o desenvolvimento de novos e bons profissionais".

Ao todo, mais de 40 mil pessoas participaram do evento, que arrecadou doações de roupas e alimentos, destinados ao Programa Mesa Brasil do Sesc/RS – uma ação conjunta que integra o Sesc, doadores, instituições sociais e voluntários com o objetivo de contribuir para a redução de carências alimentares e do combate ao desperdício de alimentos.


15.09.2010

Senac/SP apresenta exposição de fotos dos 100 anos do Corinthians

SÃO PAULO - Para homenagear os 100 anos do Sport Club Corinthians Paulista, completados no dia 1º de setembro, o Senac São Paulo inaugurou na segunda-feira, dia 13, a exposição fotográfica "Corinthians, 100 Fotos", que mostrará a história contemporânea do time por meio das imagens do fotógrafo oficial Daniel Augusto Júnior. Os jogadores Ronaldo, Roberto Carlos, Elias, Bruno César, Casagrande, Sócrates, Dinei, entre outros que marcam e marcaram o alvinegro Corinthians estão retratados na mostra, que ficará em cartaz de 14 de setembro a 23 de outubro no Senac Lapa Scipião (R. Scipião, 67, Lapa, na capital). A exposição estará aberta de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, e sábados, das 9h às 16h. A entrada é gratuita.

Segundo Daniel, o visitante da exposição conhecerá fotos de bastidores e cenas nunca mostradas pela TV ou jornais. "Essa exposição é uma oportunidade de muito significado. O gol marcado pelo Tupãzinho em 1990 no primeiro Campeonato Brasileiro vencido pelo Timão, por exemplo, é uma foto exclusiva que estará na mostra." Para João Kulcsár, curador da exposição e professor de fotografia do Centro Universitário Senac, essa é uma ocasião para os torcedores do "Todo Poderoso" verem imagens dos jogadores nos treinamentos, vestiário, jogos, gols e o delírio da torcida.

O Senac São Paulo preparou um catálogo que trará, além das fotos da mostra, as datas dos títulos do time em uma linha do tempo relacionando aos acontecimentos do Brasil em cada época. O documento é gratuito e pode ser retirado na entrada da exposição. A quantidade é limitada.

Sobre Daniel Augusto Jr.

O fotógrafo Daniel Augusto Jr. trabalhou em diversos veículos de comunicação do Estado de São Paulo, entre eles os jornais Placar, Folha de S. Paulo, O Globo e Lance!. Desde 1984, registra as imagens do Sport Club Corinthians Paulista e, desde 2003, fotografa para o site do time. Em janeiro de 2008 tornou-se o fotógrafo oficial do Corinthians. É autor dos livros Eu Voltei (2008), Invicto Fenomenal (2009) e Copa do Brasil (2009), que retratam histórias do time como a volta à série A do Campeonato Brasileiro, fotos do Campeonato Paulista de 2009 e a conquista da Copa do Brasil 2009, respectivamente.

Acesse o site do Senac São Paulo: www.sp.senac.br


15.09.2010

Senac Varejo apresenta o Fórum EmpreendaMais MT 2010

CUIABÁ - O Senac Mato Grosso, ao lado do Sistema Fecomércio/MT, promove, nos dias 15 e 16 de setembro, no Centro de Eventos Pantanal, em Cuiabá, o "Fórum EmpreendaMais MT 2010". O evento é destinado a potencializar o espírito empreendedor de empresários e profissionais que buscam conhecimento e soluções para crescerem com seu negócio.

A abertura será nesta quarta-feira (15), às 9h. Na ocasião, o presidente do Sistema Fecomércio-Sesc-Senac/MT e secretário de Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia de Mato Grosso, Pedro Nadaf, falará sobre cenário e tendências, transmitindo informações práticas para o ano de 2011. Também estarão presentes a diretora regional do Senac, Gilsane de Arruda e Silva, e o diretor da Editora Quantum – Revista VendaMais, Raul Candeloro.

Em seguida, a palestra "Caminhos para o Brasil", com o empresário apontado pelas revistas Veja e Exame como um dos melhores palestrantes do País, Carlos Alberto Júlio. Ainda no mesmo dia, ocorrerá a "Feira de Franquias e Soluções para o Varejo", na qual outras palestras acontecerão simultaneamente. Dentre elas, Marcelo Caetano, autor de consagrados livros, que falará sobre o tema "Representante Comercial: o Vendedor Empreendedor".

O Fórum EmpreendaMais MT 2010 será encerrado com a presença de Cláudio Diogo, palestrante que já proferiu cerca de 800 seminários por todo o Brasil e pela América Latina para aproximadamente 40 mil profissionais, apresentando "O Segredo do Sucesso", na qual mostra o resultado de uma pesquisa realizada com mais de 200 executivos em território nacional.

Acesse o site do Senac Mato Grosso: www2.mt.senac.br:8080


23.08.2010

Avon promove workshop com professores e alunos de Moda e Beleza no Rio Grande do Sul

Porto Alegre - Em parceria inédita entre o Senac/RS e a Avon, no dia 16 de agosto ocorreu o workshop Maquiagem para Estúdio, Passarela e Editorial, na Escola de Educação Profissional Senac Canoas (Rua Mathias Velho, 255, Centro). A atividade abordou as principais tendências nacionais e internacionais em maquiagem e lotou o auditório da escola. Estiveram presentes mais de 100 pessoas, entre consultoras da Avon, professores e alunos das áreas de Moda e Beleza, além de interessados pelo tema e a comunidade local.

Os trabalhos foram conduzidos por duas experts responsáveis pelo visual de desfiles nacionais e internacionais: Vanessa Rozan, maquiadora oficial do programa Esquadrão da Moda, do SBT, e consultora do Portal da Maquiagem, e Cecília Macedo, vencedora do concurso Conexão Beauty Art – 2009, da Avon, categoria Editorial.

A maquiadora Vanessa abordou o tema com foco em moda, mostrando aos alunos, de uma maneira abrangente, como acontece o processo de criação de maquiagem para desfiles. "Minha expectativa era mostrar e compartilhar com os alunos do Senac o que vivi nos bastidores das passarelas." explica. A beauty artist Cecília falou sobre Maquiagem para Luz de Contraste em Estúdio, que trata de um tipo de luz bastante usado na fotografia de moda, publicidade e editoriais que ressalta com a maquiagem, os ângulos dos modelos: "Levei para esse workshop boa parte do material que uso em estúdio. Durante os trabalhos para campanhas publicitárias e editoriais de moda, sempre discutimos antes com o fotógrafo, para saber qual é o tipo de luz a ser usada no trabalho e, a partir daí, desenvolvemos técnicas de maquiagem para valorizar as imagens que produziremos".

O concurso Conexão Beauty Art é uma nova plataforma de relacionamento com maquiadores, desenvolvida a partir do antigo Prêmio Avon de Maquiagem. Em sua segunda edição, o concurso marcou os mais de 16 anos do relacionamento da empresa com os maquiadores de todo o Brasil e tem o objetivo de revelar novos profissionais inovadores na área.

"O workshop é parte da premiação nacional da primeira edição do concurso Conexão Beauty Art. Com ele, proporcionamos oportunidade para os maquiadores que venceram mostrarem suas habilidades e demais qualidades que os destacaram na premiação", explica Kátia Gianone, diretora de Comunicação da Avon Brasil.


23.08.2010

Projeto "Vira Vida" chega à Paraíba numa parceria entre Senac e Sesc

João Pessoa - Combater a exploração sexual e o abuso moral de jovens de 16 a 21 anos de idade. Esse é o principal objetivo do Projeto Vira Vida, idealizado pelo Sesi em conjunto com as instituições do Sistema S e implantado em 2008 em quatro capitais (Belém, Fortaleza, Recife e Natal). Agora é a vez de a Paraíba contribuir com a ação por meio de parceria entre o Senac e o Sesc do estado.

As duas instituições oferecem, a partir desta semana, nove meses de ações de profissionalização e qualidade de vida. Serão cursos e oficinas com jovens selecionados pelo programa nas cidades de João Pessoa e Campina Grande.

De segunda a quinta-feira, o Senac/PB realiza, com 49 jovens, um curso completo na área de Gestão e Negócios. Totalizando 600 horas/aula, os estudantes serão capacitados nas ocupações de recepcionista, vendedor e auxiliar administrativo. As programações têm também módulos destinados a conteúdos como ética do trabalho e cidadania; saúde, segurança e qualidade de vida, de modo a possibilitar inserção dos jovens no mercado de trabalho, realizando uma formação ética e profissional.

Nas sextas-feiras, a tarde é dedicada à promoção da qualidade de vida. Na unidade do Sesc Gravatá, na capital, e na unidade Açude Velho, em Campina Grande, cerca de 90 jovens terão acesso às atividades de saúde, lazer e cultura. Na área de Saúde, eles participam de palestras e oficinas de prevenção e promoção, abordando temas como saúde bucal, DSTs e hipertensão. Na área cultural, integram diversas oficinas de música, artes cênicas e cinema, além de serem incentivados à leitura por meio da biblioteca volante mantida pela instituição, na qual podem realizar gratuitamente empréstimo de livros, revistas, jornais, gibis e diversas publicações.

Os jovens também contam com atividades recreativas e esportivas, como natação, dinâmicas, jogos de quadra e campo. Todas as atividades e o progresso dos estudantes são acompanhados por uma equipe de Psicologia e Pedagogia. Diversos Departamentos Regionais do Sistema S já realizam a ação em nível nacional.

Sobre o Vira Vida

Em consonância com os programas da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, o Projeto Vira Vida tem como objetivo geral ser uma experiência socioeducativa de combate à exploração sexual de jovens e adolescentes, e possibilitar-lhes novas opções pessoais e profissionais.

A proposta consiste em promover a elevação da autoestima e da escolaridade dos participantes, para que desvendem seu próprio potencial e novas perspectivas de futuro. Cursos profissionalizantes são oferecidos a partir do alinhamento entre a demanda de cada mercado e o perfil e as expectativas dos jovens. Atendimento psicossocial e apoio às famílias também estão incluídos no projeto.


18.08.2010

Turismo de experiência e formação profissional pautam edição do Fórum Mundial Amforht 2010

São Paulo - O Senac São Paulo e a Associação Mundial para a Formação em Turismo e Hotelaria (Amforht) realizam de 22 a 24 de setembro o Fórum Mundial Amforht 2010, com o tema Turismo de Experiência e Formação Profissional. O Centro Universitário Senac – Campus Santo Amaro, na capital, será palco do encontro que visa atualizar os participantes para direcionamento de seus negócios e discutir a formação profissional. Debater porque o consumidor do turismo e o contexto atual apresentam características que favorecem a "experiência" e levantam a discussão sobre produtos e serviços é um dos objetivos do evento.

Durante o Fórum Mundial Amforht, o Senac oferecerá oportunidade aos profissionais, empresários e pesquisadores da área para refletir e discutir sobre o turismo contemporâneo e as mudanças nas relações produto, turista e comportamento. Começa a se definir um novo perfil de turismo no qual o prazer de viajar está associado às experiências ímpares que serão vivenciadas, em uma perspectiva individual e personalizada.

"Esses viajantes requerem um alto nível de qualidade nos serviços prestados e as áreas de viagens, transporte, hospedagem, entretenimento e gastronomia precisam adequar seus negócios, equipamentos, atividades e serviços para proporcionar uma experiência marcante focada no novo perfil de cliente", explica Márcia Harumi Miyazaki, coordenadora de desenvolvimento de cursos de hotelaria do Senac São Paulo. Ela aponta duas ações estratégicas para atender às expectativas: a adaptação dos produtos e serviços do novo modelo de consumo, para gerar diferencial de mercado; e qualificação dos profissionais para atender os futuros desafios de forma criativa e eficiente.

Voltado para especialistas e pesquisadores que atuam em turismo, hotelaria, gastronomia, lazer, eventos e educação, o fórum reúne especialistas internacionais renomados, como Albert Boswijk e Gilles Lipovetsky. O primeiro é diretor do Centro Europeu para a Economia da Experiência e fará a conferência de abertura do encontro, que analisará, entre outros temas, o comportamento das empresas em um cenário de inovações e a inclusão da experiência nos negócios. Já o filósofo francês e escritor, Gilles Lipovetsky, encerrará o encontro discutindo as condições da sociedade contemporânea e as experiências enquanto consumo.

O Fórum Mundial Amforht 2010 acontece de 22 a 24 de setembro de 2010 no Centro Universitário Senac – Campus Santo Amaro. As inscrições devem ser feitas pelo hotsite www.sp.senac.br/amforht.

Serviço

Fórum Mundial Amforht 2010
Data: de 22 a 24 de setembro
Inscrições:
Estudantes: R$ 160 (De 21/7 a 31/8), R$ 170 (De 1 a 22/9)
Profissionais: R$ 250 (De 21/7 a 31/8), R$ 280 (De 1 a 22/9)
Local: Centro de Convenções do Centro Universitário Senac – Campus Santo Amaro
Endereço: Avenida Engenheiro Eusébio Stevaux, 823 – Santo Amaro
Informações e inscrições: www.sp.senac.br/amforht


18.08.2010

Bahia homenageia culinária regional com o seminário "Rotas gastronômicas, turismo e alimentação"

Salvador - No dia 31 de agosto, o teatro do Senac Pelourinho será palco do Quarto Seminário de Gastronomia Baiana. Com o tema Rotas gastronômicas, turismo e alimentação, o evento faz parte das comemorações do quarto aniversário do Museu da Gastronomia Baiana.

Segundo o curador do museu, Raul Lody, o seminário “aborda dois temas de interesse nacional e internacional – turismo e a alimentação –, mostrando e analisando os programas que visam à valorização, preservação e difusão dos sistemas alimentares tradicionais e as suas múltiplas interpretações como patrimônio cultural".

O seminário, que será realizado das 13h às 18h, é direcionado especialmente a alunos e profissionais das áreas de Gastronomia, Nutrição, História, Turismo e Hospitalidade informações. As inscrições podem ser feitas nas unidades do Senac Pelourinho (Praça José de Alencar, 13/19, Pelourinho), Aquidabã (R. Dr. J. J. Seabra, 403, Baixa dos Sapateiros) e Casa do Comércio (Av. Tancredo Neves, 1.109 – Ed. Casa do Comércio, na Pituba).

O Museu da Gastronomia Baiana é o primeiro dedicado à área na América Latina. Em suas instalações, espaço dedicado às referências sobre a formação e multiculturalidade da culinária na Bahia; um restaurante típico; a loja Doces & Livros, que apresenta as publicações sobre o tema do selo Senac Editoras; e uma galeria de arte. O museu funciona de segunda a sábado, das 9h às 11h e das 12h às 17h20.


18.08.2010

Senac Editoras marca presença na Bienal Internacional do Livro em São Paulo

São Paulo - Sessenta mil metros quadrados, 350 expositores nacionais e estrangeiros, 220 mil títulos, público esperado acima de 700 mil pessoas e visita de mais de 180 mil estudantes dos ensinos fundamental e médio. Esse é um resumo numérico de um dos maiores eventos das letras no país: a Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Em sua 21ª edição, a feira ocorre no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na capital paulista, até o dia 22 de agosto. Palco para o encontro de editoras, livrarias, distribuidoras e leitores, a Bienal oferece uma intensa programação cultural, desenvolvida para despertar o gosto pela leitura.

O selo Senac Editoras, formado pela união das editoras Senac São Paulo, Rio e Distrito Federal, e pelo Senac Nacional, se fará presente na Bienal com um estande de 200 metros quadrados, cujo tema é Senac – Empório do conhecimento. Seu cenário lembra um empório, com lonas que retratam azulejos antigos e portas de rolamento em aço, próprias de estabelecimentos do gênero. O ambiente faz referência a um dos mais importantes segmentos de publicação do Senac Editoras e um dos temas que recebe espaço de debates dentro da Bienal: a Gastronomia.

São desse assunto alguns dos 40 títulos que a Instituição lança no evento, como Sabores do Brasil em Portugal, de Isabel Drumond Braga; Técnicas de Padaria Profissional, de Paulo Sebess; À mesa posta – História estética da cozinha, de Gualtiero Marchesi e Luca Vercelloni, e Bebida, abstinência e temperança – na história antiga e moderna, de Henrique Carneiro. Mas há também publicações de outras áreas, como Moda, Fotografia, Ciências Sociais, Meio Ambiente, Arquitetura, Marketing, Turismo, Saúde e Educação. São mais de mil títulos do catálogo à disposição dos visitantes.

Não só livros na programação

Estão previstos debates com autores e eventos de lançamento das obras nos espaços Arena Gastronômica – Cozinhando com Palavras e Arena Sesc (estande do Sesc/SP). Todos os livros serão comercializados com 20% de desconto. A cada dia, quatro títulos diferentes estarão disponíveis com 30% de desconto.

Além do Brasil, Alemanha, China, Colômbia, Cuba, Espanha, México e Portugal estarão representados no evento, que este ano homenageia os escritores Monteiro Lobato e Clarice Lispector. Contudo, a grande novidade deste ano é que não apenas livros de papel estão presentes. A Bienal dedica também destaque especial aos livros digitais, vedetes dos leitores – principalmente os mais jovens.

Os ingressos estão à venda apenas na bilheteria da Bienal: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).


21.07.2010

Primeira universidade do país na área de museologia está prevista para outubro

Brasília – O Brasil poderá contar a partir de outubro com uma universidade aberta na área de museologia. Segundo o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), José Nascimento Junior, a intenção é capacitar profissionais de todo o país que já trabalham em museus, mas sem formação específica. Haverá cursos de pós-graduação e de curta duração transmitidos por aulas virtuais ou presenciais, em Brasília.

"Nossa meta é fazer inventários dos acervos e conscientizar os museus para a importância de aplicar o plano de segurança nacional que elaboramos. Quanto aos investimentos, passamos de R$ 25 milhões em 2003 para os atuais R$ 120 milhões anuais", disse.

Ele acredita que o aumento de recursos influencia diretamente o crescimento no número de vistantes, que passou de 15 para 33 milhões de pessoas. Mesmo com a ampliação do acesso, os museus ainda estão concentrados no Sudeste do país. O Norte e o Centro-Oeste são as regiões mais carentes de museus e centros culturais.

"Existe uma concentração histórica de instituições culturais no litoral. Para rompermos com isso estamos buscando apoiar museus que querem ser federalizados ou criados nas outras regiões", explicou Nascimento. Além disso, foram criados pontos de memória em áreas carentes, como a cidade Estrutural, em Brasília, e o Morro Pavão-Pavãozinho, no Rio de Janeiro.

O Ibram cuida de 28 museus ligados diretamente ao Ministério da Cultura e também é responsável pela Política Nacional de Museus, que orienta os 2.870 museus brasileiros. O instituto foi criado em 2009, mesmo ano da aprovação do Estatuto dos Museus.

Da Agência Brasil


21.07.2010

Lula assina decretos e MPs que ampliam autonomia de universidades federais

Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou no dia 19 três decretos e duas medidas provisórias que visam a dar maior autonomia às universidades federais do país. As medidas permitem a abertura de créditos suplementares para instituições e seus hospitais universitários, o uso das sobras do orçamento do ano anterior no exercício seguinte e a realização de concursos públicos sem autorização prévia do Poder Executivo, entre outros pontos.

Os decretos regulamentam ainda a assistência estudantil e liberam recursos para o Programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais. Em relação às medidas provisórias, uma estabelece as regras de funcionamento das fundações de apoio às universidades e outra cria a margem de preferência para as compras públicas de produtos e serviços brasileiros. A segunda MP possibilita que essas entidades públicas possam comprar produtos de empresas brasileiras, mesmo que os preços sejam superiores aos oferecidos por uma empresa estrangeira.

Em seu discurso, Lula disse que a assinatura dos decretos e das medidas provisórias é uma prova de que o governo federal aprendeu a escutar a sociedade e, com isso, tem conseguido atender às suas reivindicações. "Uma coisa que vai se consagrar nas políticas públicas do país é o fato de o governo ter aprendido que ouvir as pessoas faz bem, mesmo quando elas estão zangadas, questionando. Muitas vezes permite que a gente faça coisas corretas. Se não fossem as criticas, poderíamos fazê-las incorretas", disse Lula a reitores da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais (Andifes).

O ministro da Educação, Fernando Haddad, destacou que muitos problemas enfrentados pelas universidades seriam facilmente resolvidos se esses dispositivos já estivessem em vigor. "A autonomia é mais do que isso, evidentemente, mas diria que o grande anseio das nossas universidades era, justamente, um arcabouço legal que permitisse que pessoal, custeio e investimento tivessem o abrigo de um diploma legal para traduzir na prática aquilo que era um princípio constitucional poucas vezes respeitado. O avanço feito por esses decretos é muito significativo", ressaltou o ministro.

Haddad afirmou que o governo está "indo ao limite do que a legislação permite" para oferecer maior autonomia às universidades. "Não fica mais ao arbítrio nem do ministro da Educação nem do ministro do Planejamento autorizar concursos públicos para recomposição de pessoal que se exonera, se aposenta, enfim, de alguma razão deixa de pertencer ao pessoal ativo das instituições", destacou.

"A universidade, no gozo de sua autonomia, vai programar a reposição do seu pessoal. O mesmo vale para a execução orçamentária. As universidades passam a contar, agora, com um diploma legal que lhes dá completa autonomia de gestão do orçamento para remanejamento de verbas entre rubricas, apropriação de recursos próprios e para a eventual execução orçamentária no ano seguinte daquilo que não pôde ser executado no exercício anterior", explicou o ministro.

Ivan Richard
Repórter da Agência Brasil


12.07.2010

ONG entregará propostas para educação aos candidatos à Presidência

Brasília - Os candidatos à Presidência da República vão receber dentro de 20 dias um documento com propostas para melhorar o ensino. O texto está sendo trabalhado pela organização não governamental (ONG) Parceiros da Educação, que colheu opiniões de vários especialistas sobre as medidas que cada um adotaria se fosse presidente ou governador.

Entre as propostas estão a valorização do professor, uma maior autonomia para a direção da escola, a reforma do ensino médio, o aperfeiçoamento do sistema de avaliação e mais tempo na escola, mas não apenas dentro das salas de aula.

Para o presidente da ONG, Jair Ribeiro, apesar das discussões sobre a melhoria da educação, ainda faltam ações que garantam a continuidade das políticas públicas. "O país precisa de um programa de qualidade e de longo prazo, previsto para 20 ou 30 anos, e multipartidário, que tenha continuidade a nível federal e estadual."

Jair Ribeiro falou sobre o assunto durante debate sobre educação promovido pelo programa Revista Brasil, da Rádio Nacional. Ele disse que um grande número de famílias "se declaram satisfeitas com a educação oferecida aos seus filhos, mas não sabem medir a qualidade do que está sendo ministrado".

A representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Júlia Ribeiro, argumentou durante o debate que a diversidade regional exige que a educação seja mais contextualizada, que as salas de aulas sejam cada vez mais interativas, dando atenção individualizada às crianças.

Para a coordenadora de Avaliação Educacional da Secretaria de Educação do Distrito Federal, Gláucia Maria Guerra "a eficiência do ensino é que pode garantir o sucesso do aluno na vida, e para isso é preciso investir em formação do profissional e na valorização do magistério. O aumento do número de matrículas e de instituições acarretou perda de qualidade, que precisa ser resgatada".

A professora Maria Auxiliadora Seabra, do movimento Todos pela Educação, defendeu um esforço coletivo para sanar os problemas da educação. "Dificilmente a população enxerga o que a educação pode fazer pela sua própria sobrevivência. O discurso político, por sua vez, diz que a educação é importante, mas ela nunca é colocada como prioridade".

O nível de formação do professor, de acordo com Auxiliadora, está muito distante da necessidade do dia a dia. Ela acha que o Brasil mantém políticas de perpetuação da pobreza. "Várias pesquisas mostram que o pobre miserável de 10 ou 12 anos atrás continua sendo o mesmo de hoje. Seus filhos estão na mesma condição, pois eles às vezes recebem bolsas por longo tempo e, quando não se enquadram mais no padrão de assistência, voltam ao desamparo anterior".

Ela defende a criação de políticas integradas que garantam a mudança da condição de vida da pobreza. Outra crítica é que há o mesmo nível de financiamento da educação para as diversas regiões, "quando se sabe que no Nordeste há mais pobreza e dificuldades, por isso os lugares mais carentes deveriam receber mais recursos", explicou Auxiliadora.


03.06.2010

País precisará construir 25 bibliotecas por dia no ensino fundamental para cumprir nova lei

Brasília - Municípios e estados terão muito trabalho para cumprir a lei sancionada na semana passada, que determina que toda a escola deve ter uma biblioteca. O maior desafio está nos estabelecimentos do ensino fundamental: será necessário construir 25 bibliotecas por dia até 2020, prazo limite para adequação à medida.

O diagnóstico é de um estudo realizado pelo movimento Todos pela Educação, com base em dados do Censo da Educação Básica de 2008. "Essa dificuldade é decorrente da falta de visão do Brasil sobre a importância da biblioteca. No mundo todo as bibliotecas são doadas por mantenedores que têm uma alegria imensa de poder doar um acervo", compara Luis Norberto, do Comitê Gestor do Todos pela Educação.

O déficit de bibliotecas no ensino fundamental é de 93 mil. Desse total, 89,7 mil são escolas públicas e 3,9 mil, estabelecimentos privados de ensino. Na educação infantil, apenas 30% dos colégios têm acervo e será necessário criar 21 bibliotecas por dia para cumprir o que determina a nova lei. A melhor situação é a do ensino médio, etapa em que o número de escolas sem biblioteca é de 3.471.

Norberto defende que, além da ação dos gestores, será necessário o envolvimento de toda a sociedade no desafio. "A lei é uma direção, mas ela não faz nada. Nós, sociedade, é que devemos fazê-la funcionar. A tarefa não é só dos gestores, imagine se cada empresário doasse um acervo para uma escola, em dois anos o problema estava resolvido", diz.

Na comparação entre as redes de ensino, a situação é pior nos colégios municipais, que contam com menos bibliotecas do que as escolas estaduais. O estudo do Todos pela Educação chama a atenção para outro fator que pode dificultar o cumprimento da lei: faltarão profissionais qualificados para trabalhar nesses espaços.

A legislação estabelece que as bibliotecas devem ser administradas por especialistas da área – os bibliotecários. Mas, segundo levantamento da entidade, hoje há um total de 21,6 mil profissionais habilitados, enquanto o país conta com aproximadamente 200 mil escolas de educação básica.

Para Norberto, com a entrada obrigatória das crianças na educação infantil aos 4 anos, estabelecida por lei no ano passado, e a implantação das bibliotecas, os alunos vão aprender a ler mais cedo. "É uma mudança radical e positiva. Daqui a dez anos, as crianças vão estar alfabetizadas aos 8 anos, é um futuro muito melhor", afirma.

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil


02.06.2010

Alunos devem ter cuidado na hora de escolher o curso superior

Brasília - Em 2009, 29 instituições tiveram que desativar cursos ou foram descredenciadas pelo Ministério da Educação (MEC) por causa da baixa qualidade do ensino oferecido. Mais de 730 vagas de medicina e 20 mil de direito foram cortadas pelo mesmo motivo. Os números servem de alerta: é preciso tomar muito cuidado na hora de escolher um curso superior.

A principal recomendação para evitar dores de cabeça é checar os indicadores de qualidade. Eles são criados a partir de avaliações do MEC – a principal delas é o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), que anualmente mede os conhecimentos de alunos ingressantes e concluintes de cursos de graduação. De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), cabe à União "reconhecer, credenciar, supervisionar" as instituições de ensino superior, públicas ou privadas.

O ministério tenta facilitar o acesso da população a essas informações, mas ainda é comum se perder em meio a tantas normas jurídicas e siglas. Recentemente entrou no ar o Cadastro das Instituições de Educação Superior. Nele é possível consultar as instituições credenciadas pelo ministério e os seus resultados nas avaliações.

O presidente da Câmara de Ensino Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE), Paulo Barone, orienta os interessados a fazer uma pesquisa que leve em conta outros fatores além dos indicadores educacionais. "É importante obter informações sobre os conceitos da instituição, a infraestrutura, o corpo docente e até mesmo a credibilidade da instituição no meio produtivo e entre os empregadores", aconselha.

A secretária de Ensino Superior do MEC, Maria Paula Dallari Bucci, alerta, entretanto, que o aluno não deve se impressionar com a infraestrutura. "Procure conhecer a instituição mais a fundo. Às vezes as instalações impressionam, mas é necessário ver se elas são de fato usadas no curso, quantos cursos utilizam a mesma infraestrutura e se ela é suficiente."

O preço da mensalidade ainda pesa na decisão de muitos estudantes no momento da escolha do curso. Mas, para Paulo Barone, "o conceito de qualidade" está se tornando cada vez mais importante para a população. "Aquele papel meramente cartorial, a ideia de se matricular numa faculdade só para ter um diploma, está mudando. As pessoas estão mais críticas em relação a isso", acredita.

Maria Paula Dallari Bucci recomenda aos universitários que recorram ao Programa de Financiamento Estudantil (Fies) caso o valor da mensalidade seja acima do seu orçamento, mas nunca se deixem guiar pelo preço. "O acesso ao crédito hoje é muito grande, então se aluno quer estudar em uma boa instituição, não importa se o preço é alto, porque ele pode pedir o financiamento", afirma.

Segundo a secretária, é preciso criar uma "cultura da qualidade", ainda incipiente no Brasil, em relação ao ensino superior. "A educação não representa apenas um certificado, é um processo de formação. A instituição precisa ter professores qualificados, um bom projeto pedagógico, material didático de qualidade. As pessoas têm que valorizar o aspecto de fundo da educação, que é o da formação dos alunos, do desenvolvimento deles como cidadãos", defende.

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil


02.06.2010

Boletins de desempenho no Enem já estão disponíveis na internet

Brasília - Os mais de 2,5 milhões de estudantes que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2009 já podem acessar os boletins de desempenho no endereço eletrônico www.inep.gov.br.

Os resultados da prova já tinham sido divulgados em janeiro durante o período de inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Agora, os boletins estarão disponíveis em PDF.

Para consulta, o estudante precisa ter em mãos o número do CPF e a senha gerada durante o período de inscrição na prova. Caso o aluno tenha perdido a senha, poderá recuperá-la pelo sistema que gera o boletim.

É possível acessar as notas de cada uma das provas – ciências da natureza, ciências humanas, linguagens e matemática – além da redação. O estudante pode ainda comparar a média obtida com a dos demais dos participantes.

Desde o ano passado, o Enem usa a Teoria de Resposta ao Item (TRI) para calcular as notas do aluno. O objetivo é medir o conhecimento a partir do comportamento observado nas provas.

Na escala construída pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), a nota 500 representa a média obtida pelos que concluíram o ensino médio em 2009 – com exceção dos egressos (que no passado já haviam concluído o ensino médio) e dos "treineiros" (alunos que ainda não concluíram).

Quanto mais distante de 500 for a nota, para cima, melhor foi o desempenho dele em relação à média dos participantes. E quanto mais distante de 500 for a nota, para baixo, pior o desempenho em relação à média.

Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil


31.05.2010

Chance de emprego é maior para quem tem curso profissionalizante, constata FGV

São Paulo - Uma pesquisa realizada pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV) e pelo Instituto Votorantim, divulgada na última quinta-feira (26), em São Paulo, constatou que a chance de quem fez o ensino profissionalizante conseguir um emprego é maior do que a de quem estudou até o ensino médio. De acordo com o estudo “Educação Profissional e Você no Mercado de Trabalho”, ela chega a 48,2%.

"O que a gente mostra com esse estudo é que os retornos da educação profissional são ainda mais altos. Mesmo quando se considera o avanço que as pessoas têm com mais escolaridade formal, a educação profissional ainda dá um plus, ou seja, é um prêmio que a educação gera em termos de salário, ocupação e formalidade", disse à Agência Brasil o economista Marcelo Neri, coordenador da pesquisa.

O trabalho também constatou que os salários daqueles que têm um curso profissionalizante são até 12,94% mais altos. O setor que mais emprega pessoas com curso profissionalizante é o automobilístico (45,71% ), seguido pelo de finanças (38,17%) e de petróleo e gás (37,34%).

De acordo com o estudo, 29 milhões de pessoas frequentam hoje cursos de educação profissional, o que representa 19,72% da população com mais de 10 anos de idade do Brasil. Desse total, 16,07 % (23,5 milhões de pessoas) frequentaram cursos de qualificação profissional, 3,54% (5,1 milhões de pessoas) fizeram ensino médio técnico e 0,11% (160 mil pessoas) tiveram formação tecnológica.

O estudo foi feito com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) e da Pesquisa Mensal de Emprego (PME).

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil


19.05.2010

Falta de qualificação profissional limita aumento de empregos, diz ministro

Brasília - Apesar da geração recorde de empregos em abril e da previsão de criação de 2,5 milhões de vagas em 2010, a falta de qualificação ameaça o crescimento do número de postos de trabalho formais em todo o país, de acordo com o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Este ano, a expectativa é que cerca de 1 milhão de trabalhadores passem por algum curso de formação. "Estamos muito aquém do necessário, deveriam ser 5 milhões", comparou, em entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom Dia, Ministro.

Segundo Lupi, a falta de qualificação é o grande gargalo da geração de empregos no país e atinge principalmente setores como a construção civil e os serviços.

"No Brasil temos a cultura do diploma universitário, mas deixamos de lado os cursos técnicos e de aperfeiçoamento, que são os mais necessários agora. Falta uma política para cursos de qualificação e aperfeiçoamento de curto e médio prazos."

Lupi disse que os investimentos em qualificação devem ser prioridade do governo e da iniciativa privada e aposta no chamado Sistema S (Senai, Sesi, Sesc, Senac e outros) para a expansão dos cursos de formação profissional. "Eles estão em todo o Brasil e têm a rede mais preparada para esses cursos. Mas temos que apelar para que ofereçam mais vagas gratuitas, porque quem está desempregado não consegue pagar."

Segundo o ministro, o governo está elaborando um projeto de lei para combinar o recebimento do seguro-desemprego à participação do trabalhador em cursos de capacitação profissional. "O problema é que não temos estrutura pública nem privada para atender à formação de tantos trabalhadores", reconheceu.

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil


19.05.2010

Organizações preparam cartilha para que educadores estimulem jovens a preservar o meio ambiente

Brasília – Três organizações não governamentais preparam o lançamento da cartilha Investigando a Biodiversidade: Guia de Apoio aos Educadores do Brasil. O objetivo é fazer com que os educadores consigam estimular os alunos para a preservação e conservação da biodiversidade a partir de sugestões didáticas e lúdicas. O guia é voltado para adolescentes de 11 a 14 anos. Mas, segundo os responsáveis, as atividades podem ser adaptadas para grupos de crianças e até adultos.

As entidades envolvidas são a WWF-Brasil, a Conservação Internacional e o Instituto Supereco. No Brasil desde 1996, a WWF é ligada à entidade internacional de mesmo nome presente em 100 países. Criada em 1987, a Conservação Ambiental está presente no Brasil e em mais 43 países. A brasileira Supereco foi criada em 1994 e desenvolve programas educativos, sociais e culturais na área de meio ambiente especialmente da Mata Atlântica.

A cartilha é uma adaptação brasileira para o material Exploring Biodiversity, publicação conjunta da Conservação Internacional e do WWF. O lançamento faz parte das comemorações do Ano Internacional da Biodiversidade e do Dia Internacional da Biodiversidade comemorado no próximo sábado (22).

O guia para os educadores está disponível desde o dia 18 nos sites da Conservação Internacional (www.conservacao.org), Instituto Supereco (www.supereco.org.br) e WWF-Brasil (www.wwf.org.br).

O material, com 133 páginas, reúne textos e atividades práticas. O enfoque é a realidade brasileira. O guia estimula os estudantes a investigar, analisar e reconhecer a importância da biodiversidade, observando os serviços ambientais existentes e as espécies ameaçadas de extinção.

Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil


19.05.2010

Ministro anuncia criação de bolsas de pós-graduação para negros

Brasília – No dia em que se comemorou os 122 anos da Lei Áurea, 13 de maio, o ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Eloi Ferreira, anunciou a criação de 250 bolsas de pós-graduação para alunos negros ou pardos e um aumento de 200 bolsas do Programa de Iniciação Científica (Pibic), que passarão de 600 para 800 em 2010.

O ministro destacou que, apesar de o sistema de cotas não ser obrigatório no Brasil, 91 universidades públicas do país adotam a reserva de vagas no vestibular para alunos negros.

Ele também anunciou o lançamento de um selo para identificar as instituições de ensino que promovem a Lei nº 10.639, de 2003. O texto tornou obrigatória a inclusão da história do povo negro e suas contribuições culturais, econômicas e sociais para o país no currículo de ensino infantil, fundamental e médio. A entrega dos selos ocorrerá em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra.

Para Eloi Ferreira, as ações divulgadas no dia 13 ajudam a corrigir injustiças e distorções históricas. "A promulgação da Lei Áurea não foi acompanhada de uma inclusão educacional, habitacional e isso faz com que até hoje o negro continue na base da pirâmide social", afirmou.

O ministro defendeu também a criação do Estatuto de Igualdade Racial, que já foi aprovado pela Câmara e aguarda votação no Senado. "Essa lei será como um segundo artigo da Lei Áurea. Ela garante o respeito às religiões de matriz africana e garante a possibilidade de acesso à terra aos remanescentes quilombolas", destacou.

Agência Brasil


13.05.2010

Inscrições para o Sisu começam em junho

Brasília - O Ministério da Educação (MEC) já definiu as datas de inscrição e como vai funcionar a próxima rodada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Os alunos que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio 2009 (Enem 2009) e quiserem disputar vagas em instituições públicas de ensino superior deverão acessar o sistema no período de 10 a 14 de junho.

O MEC ainda não tem uma estimativa de quantas universidades e institutos vão participar do processo, nem de quantas vagas serão oferecidas. Ainda essa semana começará o período de adesão para as instituições interessadas em participar do Sisu. Para o primeiro semestre de 2010, 51 universidades participaram, mas nem todas fazem processos seletivos duas vezes ao ano.
Outra mudança prevista está no formato de inscrição. Na primeira edição, foram realizadas três etapas, mas agora em junho será apenas uma, com três chamadas subsequentes e uma lista de espera para preencher possíveis vagas remanescentes.

O candidato terá direito a duas opções de curso. Se for selecionado para a sua primeira opção, o aluno será convocado para matrícula e sai automaticamente do sistema. Aqueles que forem chamados para a segunda opção poderão permanecer no Sisu para tentar a vaga mais uma vez na lista de espera.

Um dos objetivos dessa mudança é evitar o que ocorreu na primeira edição do Sisu, no início do ano: muitos estudantes se inscreviam para um curso, mas depois de selecionados não se matriculavam, o que acabou gerando sobra de vagas nas três etapas de seleção. Essas vagas foram preenchidas posteriormente por uma lista de espera.

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil


06.05.2010

MEC estuda Fies para cursos técnicos a partir de 2011

Brasília - O Ministério da Educação (MEC) estuda incluir no Fundo de Financiamento do Ensino Superior (Fies) os cursos técnicos. A medida valeria já para 2011, segundo o ministro Fernando Haddad. "Nós queremos recriar esse modelo para o ensino técnico", disse ele, que este ano disponibilizou um orçamento de R$ 1,6 bilhão ao programa.

Criado em 1999, o Fies financia a mensalidade em instituições privadas de ensino superior para estudantes de baixa renda. As inscrições foram abertas na última segunda-feira (3) com várias novidades. Uma delas é que agora é possível pedir o financiamento a qualquer momento – antes as adesões só podiam ser feitas no início de cada semestre.

O estudante deve acessar o site do Fies para saber se a instituição em que ele estuda aderiu ao programa. Só poderão ser financiados cursos que foram bem avaliados pelo ministério (nota acima de 3 no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior).

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil


03.05.2010

Secretária do MEC diz que há crise mundial na concepção do ensino médio

Brasília - A secretária de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Maria do Pilar Lacerda, disse hoje (3) que predomina, em todo o mundo, uma preocupação com o formato a ser adotado para o ensino médio.

"Existe uma crise mundial. Países com diversidade etnocultural têm mais problemas, pois tinham modelos que se adaptavam aos anos 70 e depois não dialogaram mais com a multiplicidade que entrou para a escola", afirmou a secretária durante o Seminário Internacional Sobre as Melhores Práticas no Ensino Médio.

Maria do Pilar ressaltou que a escola precisa conhecer o jovem e se adaptar às novas tecnologias. “A escola não pode mais assumir o papel de ser a transmissora da informação, a informação ele [jovem] conhece por outros meios, mas de forma superficial. O papel da escola é tratar a educação”, explica.

Segundo Maria do Pilar, no caso brasileiro há desafios a serem enfrentados. Dos 10 milhões de brasileiros que tem entre 15 e 17 anos, 1,2 milhão não vão para a escola, 3,5 milhões ainda estão no ensino fundamental e 5 milhões (50%) estão no ensino médio.

"É preciso corrigir a distorção idade-série. Em 2016 o ensino médio será obrigatório o que significaria colocar na escola mais de 1,2 milhão de jovens", destaca.

Para o representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, Marcelo Perez, o seminário demonstra o esforço conjunto e o início de uma parceria em termos de políticas e programas educativos entre o BID e Ministério da Educação.

"Queremos compartilhar experiências exitosas de ensino. O BID está preparado para apoiar o setor social e em particular o educativo. Uma de nossas prioridades são as políticas de inclusão social e para a qualidade de vida."

O representante da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Ian Whitman, informou que nos 30 países que integram a organização, 40% dos alunos que não concluíram o ensino médio estão desempregados. “Temos evidências de que a educação é a chave para se lidar com os desafios econômicos e sociais de nossa época”, disse.

Whitman ressaltou também que as escolas precisam estar aptas para receber os jovens com suas necessidades e saber enfatizar as habilidades do século 21. “Precisamos aprender uns com os outros a superar os desafios. Não adianta produzir as mesmas habilidades do passado. As escolas do século 21 precisam auxiliar os jovens em suas habilidades”, destacou.

Participam do encontro especialistas e gestores da educação secundária e técnica de dez países, entre eles, Canadá, Austrália, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Chile e Uruguai.

Lisiane Wandcheer
Agência Brasil


03.05.2010

Enem 2010 será realizado nos dias 6 e 7 de novembro

Foz do Iguaçu (PR) - O Ministério da Educação (MEC) vai realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos dias 6 e 7 de novembro. A expectativa é de que a edição deste ano tenha 6 milhões de inscrições. Geralmente o Enem é realizado em outubro, mas, por causa do primeiro e do segundo turnos das eleições, o calendário teve que ser alterado para novembro.

Com essa data, o resultado das provas deve estar disponível na primeira semana de janeiro para ser usado por instituições públicas de ensino superior como forma de ingresso. Em 2009, 51 aderiram ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que ofereceu 47,9 mil vagas.

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2010 já estava marcado para o primeiro fim de semana de novembro e, devido ao Enem, deverá ser adiado.

Em 2009, 4,1 milhões de estudantes se inscreveram no Enem e 3,2 milhões fizeram as provas. A data para o início das inscrições de 2010 ainda não foi fechada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

Em junho, o MEC fará uma nova rodada de inscrições do Sisu. Os alunos que tiverem interesse em disputar as vagas a serem oferecidas por instituições públicas de ensino superior vão usar a nota do Enem de 2009.

As 51 instituições que participaram da primeira edição do sistema manifestaram interesse em permanecer no processo, mas ainda não é possível saber quantas vão participar da etapa de junho, já que nem todas fazem processos seletivos duas vezes ao ano.

Agência Brasil


03.05.2010

Pesquisa mostra que 420 cidades ainda não têm bibliotecas municipais

Brasília - Pesquisa divulgada na última sexta-feira (30) pelo Ministério da Cultura revela que em 420 cidades brasileiras ainda não há bibliotecas municipais. O índice representa 7,54% dos 5.565 municípios em todo o país. O estado com o maior número de cidades sem esses espaços para leitura é o Maranhão (61).

O 1º Censo Nacional das Bibliotecas Públicas Municipais foi realizado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e encomendado pelo ministério.

De acordo com o levantamento, em 79% das cidades há bibliotecas municipais em funcionamento. Em 12%, elas estão em processo de implantação e em 1%, em fase de reabertura. O estudo foi feito entre setembro e novembro do ano passado. Em 2007 e 2008, 660 cidades não tinham bibliotecas municipais.

O perfil dos estabelecimentos indica uma média de 296 empréstimos por mês e uma frequência média de usuários de 1,9 vez por semana. A área física é de 177 metros quadrados, em média, e a maioria das bibliotecas (99%) não abre durantes os finais de semana, só funciona de segunda à sexta, de manhã e de tarde.

Os dados mostram ainda que 91% dos locais não oferecem serviços a pessoas com deficiência visual. O índice das bibliotecas que não dispõem de serviços para portador de necessidades especiais chega a 94%. Além disso, 88% dos estabelecimentos não têm nenhum tipo de atividades de extensão, como oficinas e rodas de leitura em escolas.

Segundo a pesquisa, 64% das bibliotecas municipais do país têm computador, mas nem a metade delas (45%) possui acesso à internet. Desses, apenas 29% prestam esse tipo de serviço aos usuários.

Amanda Cieglinski
Agência Brasil


15.04.2010

Março teve a melhor geração de empregos para o período desde 2008

Brasília - O resultado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) foi o melhor para meses de março da série histórica, que teve início em 1992. Foram geradas 266.415 vagas, segundo informou o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi.

O segundo melhor resultado foi em março de 2008, com 206.556 novas vagas. No acumulado do trimestre, foram gerados 657.259 empregos, o que representou mais de 30% da meta de 2 milhões de novos empregos prometida pelo governo para 2010. A expectativa de Lupi é de que o mês de abril seja o melhor de toda a série histórica.

"Em abril serão gerados 340 mil postos de trabalho, ultrapassando o melhor mês até hoje, que foi junho de 2008, com 309 mil novas vagas".

Lisiane Wandscheer
Repórter da Agência Brasil


15.04.2010

Haddad diz que Brasil deve erradicar analfabetismo até o fim da década

Brasília - O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou hoje (15) que o Brasil deve erradicar o analfabetismo até o fim desta década, ao participar de entrevista a emissoras de rádio no programa "Bom Dia, Ministro". Atualmente, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2008 (Pnad/IBGE), a taxa de analfabetismo no país é de 10% entre a população com mais de 15 anos.

De acordo com o ministro, o país irá cumprir o acordo assinado em 2000 na Conferência Mundial de Educação, em Dacar, que prevê a redução da taxa de analfabetismo em 50% até 2015. "Isso significa levar a taxa para 6,7% até 2015 o que nos permite prever que até o final da década o analfabetismo estará erradicado no Brasil. Por erradicado nós devemos entender uma taxa de menos de 4% [de analfabetos na população maior de 15 anos], o que a Unesco [Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura] considera um indicador aceitável", disse.

Haddad ressaltou que uma das dificuldades para combater o problema é que ele atinge principalmente a população idosa que vive em cidades pequenas ou no campo. "Na população de 15 a 17 anos o analfabetismo é de 1,7% apenas, já pode ser considerado erradicado. Na população de 18 a 24 anos, estamos com uma percentual de 2,2% de analfabetos", comparou.

Uma pesquisa com as turmas do programa Brasil Alfabetizado apontou que 75% dos alunos tinham algum problema de visão. Segundo o ministro, por meio de uma parceria com o Ministério da Saúde, vão ser distribuídos óculos de grau ou será oferecido tratamento para estudantes com alguma deficiência visual.

"Você cria a turma, alfabetiza o adulto e depois de um ano ou dois ele regride porque sem o óculos ele não vai ler e não vai reter o conhecimento que adquiriu", disse Haddad. Hoje 1,9 milhão de jovens e adultos estão matriculados no programa Brasil Alfabetizado. Desse total 1,6 milhão frequentam atualmente as salas de aula.

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil


15.04.2010

Inscrições no Fies devem começar nos próximos dias, prevê Haddad

Brasília - O ministro da Educação, Fernando Haddad, informou hoje (15) que nos próximos dias estará aberto o período de inscrições para o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). O programa permite que os universitários financiem os estudos em curso superior de instituições particulares. "O sistema estará disponível em uma ou duas semanas", disse Haddad.

A partir deste ano, a gestão do programa, que era feita pela Caixa Econômica Federal, passa a ser de responsabilidade do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A demora na transferência do banco de dados da Caixa para o fundo atrasou o início das inscrições.

"Estamos consolidando o banco de dados. O problema do Fies é que desde 1999 ele é oferecido depois do início do ano letivo. Nós queremos mudar essa regra. Com todos os dados, é possível oferecer o financiamento ao aluno antes mesmo da matrícula. Ou seja, se ele passou no vestibular e garantiu sua vaga, pode ter acesso ao financiamento", explicou.

Em entrevista a emissoras de rádio durante o programa "Bom Dia, Ministro", Haddad lembrou as mudanças recentes do Fies como a redução da taxa de juros para 3,4% ao ano – menor do que a inflação prevista – e o aumento do tempo de carência para o pagamento da dívida. Outra novidade é que agora, além da Caixa, o Banco do Brasil também será agente financeiro do programa.

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil


13.04.2010

MP libera R$ 1,6 bi para Educação, estados, DF e municípios

Brasília - A Câmara dos Deputados analisa a Medida Provisória 485/10, que libera crédito extraordinário de R$ 1,6 bilhão para o Ministério da Educação, os estados, o Distrito Federal (DF) e os municípios.

Metade desse montante (R$ 800 milhões) busca compensar os estados e o Distrito Federal pela diminuição do Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE) em 2009 por causa da crise financeira internacional.

Ensino médio

Já os recursos destinados à Educação também somam R$ 800 milhões e serão aplicados no Programa Especial de Fortalecimento do Ensino Médio, que prestará assistência ao ensino médio nos estados das regiões Norte e Nordeste.

A destinação será para os estados onde os repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb) tenham sido menores que a média regional. Em relação aos valores para a Educação, a destinação do crédito está prevista na MP 484/10.

Rodrigo Bittar
Agência Câmara

Edição - Carol Siqueira


09.04.2010

Investimento social privado no Brasil dá prioridade à educação, segundo pesquisa

Brasília - O 5º Censo do Investimento Social Privado (ISP) no Brasil, elaborado pelo Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (Gife) para o período 2007/2009, aponta que o maior volume de investimentos continua sendo aplicado na área da educação, concentrados na população jovem e direcionados principalmente às regiões Sudeste e Sul do país. Cultura e artes, formação para o trabalho e meio ambiente são outras áreas de destaque do ISP brasileiro.

Realizado a cada dois anos pelo Gife, o censo teve os resultados preliminares divulgado na última quarta-feira (7) durante o 6º Congresso Gife sobre Investimento Social Privado, no Rio de Janeiro. A conclusão do levantamento deverá ser publicada em outubro deste ano.

Composta por organizações de origem empresarial, familiar, independente e comunitária que investem em projetos sociais, culturais e ambientais de finalidade pública, a Rede Gife fez investimentos de R$ 2,015 bilhões no Brasil em 2008.

Em 2010, a previsão é que o ISP alcance em torno de R$ 2,012 bilhões, recuperando o patamar pré-crise global, disse o secretário-geral da entidade, Fernando Rossetti. O aumento esperado é de 6,23% sobre os R$ 1,894 bilhão investidos no ano passado pelos associados da rede. "Filantropia está ligada ao momento econômico, à riqueza", salientou. A tendência, segundo Rossetti, é o ISP "passar a ser uma unidade de inteligência social das empresas, buscando maior profissionalização, parcerias e diversificação".

O secretário-geral do Gife comentou também a relação entre o investimento social privado e a crise internacional. A conclusão é que não houve grande impacto. Os investimentos tiveram redução de 6% em 2009, em comparação ao ano anterior. Entretanto, a maioria dos investimentos programados, equivalente a 45% do total, permaneceu inalterada no ano passado, enquanto 29% registraram ligeira redução e 18% tiveram uma diminuição significativa.

O Gife é formado por associações e fundações empresariais (54%), empresas (24%), fundos independentes ( 11%), fundações comunitárias (6%) e fundações familiares (3%). De acordo com dados da pesquisa Ação Social das Empresas, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o grupo de organizações filiadas ao Gife responde por cerca de 20% do montante investido pelo setor privado brasileiro na área social.

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

Edição: João Carlos Rodrigues


09.04.2010

Investimento público em ensino é fundamental, reforça economista da FGV

Rio de Janeiro - O chefe do Centro de Políticas Sociais (CPS) do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), economista Marcelo Néri, considera importantes as ações de responsabilidade social corporativa e das organizações não governamentais voltadas à juventude. No entanto, enfatiza que o futuro dos jovens brasileiros depende muito da quantidade e, principalmente, da qualidade dos investimentos públicos.

Ele participou de um painel sobre o perfil do jovem no Brasil em 2020, durante o 6º Congresso Gife sobre Investimento Social Privado, que será encerrado hoje (9) no Rio de Janeiro. Segundo Néri, mais de 97% das crianças e jovens entre 7 e 15 anos no país estão na escola e 90% estão em instituições de ensino públicas, "que são muito piores do que as privadas".

Nas escolas públicas, em uma escala de 0 a 10 a nota média do aprendizado é 3,6, e nas privadas, 6. A média brasileira é 3,8, informa Néri. A meta estabelecida pela sociedade e pelo Ministério da Educação é alcançar nota 6 - média dos países da Organização para Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) – nas instituições públicas de ensino do Brasil até 2020.

"É um desafio grande. Acho que a gente não sabe a resposta para isso ainda. Não dá para ser otimista pelo passado histórico que temos de não avançar na questão da educação, principalmente a qualidade da educação", afirma. O futuro dos jovens depende da capacidade dos brasileiros de atingir essa meta, reiterou o economista. "Essa é a grande agenda da próxima década".

Néri diz não ter visto nos discursos dos candidatos à Presidência da República, até agora, nenhuma manifestação a esse respeito. Um grande desafio para o futuro é colocar os jovens no ensino médio, além de melhorar a qualidade dos serviços de educação prestados, acrescenta o economista.

"A agenda da próxima década é a da qualidade da educação. É o primeiro passo para mudar alguma coisa. O segundo passo é saber para onde você quer ir", observa Néri. Para ele, o fato de haver metas pode ajudar nesse processo, embora não seja suficiente para fazer uma revolução no ensino.

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil


09.04.2010

Evasão escolar e falta de mão de obra qualificada preocupam economista

Rio de Janeiro – O chefe do Centro de Políticas Sociais (CPS) do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), economista Marcelo Néri, está preocupado com o futuro da juventude brasileira nos próximos dez anos. Para ele, a evasão escolar e a falta de mão de obra qualificada apontam para um cenário pouco promissor.

"Tem o apagão de mão de obra que vigorava em 2007 e 2008. Veio a crise, mas eu acho que a tendência é voltar", diz Néri, que ontem (8) participou de um painel com o intuito de definir o perfil do jovem no Brasil em 2020 durante o 6º Congresso Gife sobre Investimento Social Privado, realizado no Rio de Janeiro.

Além disso, acrescenta o economista, muitos jovens entre 18 e 24 anos estão abandonando os bancos escolares. De acordo com a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de escolarização caiu 4,5% em 2007 e 2008. "Então, tem uma certa evidência do apagão de mão de obra se retroalimentando, o que é bastante preocupante", assinala.

De acordo com Néri, a melhor maneira para melhorar a situação do jovem no país é aplicar os investimentos sociais públicos e privados na primeira infância. "Você vai beneficiar o jovem do futuro. A melhor maneira de garantir o jovem em todo o seu potencial em 2020 seria o investimento desde a primeira infância. E isso a gente tem feito pouco".

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil


Redes Sociais

 YouTube Flickr



Programa Senac de Gratuidade

Programa Alimentos Seguros

Cartão BNDES

Faculdade Senac

Pós-graduação Faculdade Senac Pernambuco

Marca Senac
Senac Pernambuco
Av. Visconde de Suassuna, nº 500, CEP 50.050-540 - Santo Amaro - Recife - PE
0800 081 1688 - senac@pe.senac.br - CNPJ: 03.485.324/0001-55
Parceiros