Luiz Schettini emociona no XVI Congresso Internacional de Tecnologia da Educação

Após três dias de intensa programação, o XVI Congresso Internacional de Tecnologia na Educação chegou ao fim nesta sexta-feira (21). Conduzida pelo psicólogo e teólogo pernambucano Luiz Schettini, a palestra magna de encerramento “Educação e Tecnologia para a Humanização da Escola” abordou o tema geral do congresso e emocionou o público presente ao tratar de memória, educação e afetividade.

“A aprendizagem não consegue vingar se não houver uma relação de amor e envolvimento com os alunos”, pontou o educador logo nos primeiros minutos da palestra. Schettini, que defende a Pedagogia do Afeto como uma das soluções para o fazer pedagógico, relembrou professores importantes da sua própria vida e a relevância que eles assumem até hoje como exemplos de bons profissionais.

Ainda sobre aspectos emocionais, o profissional abordou assuntos pouco explorados, como a solidão e a importância do autoconhecimento para o exercício da educação. Para ele, “a pessoa ensina ao aluno aquilo que se é. Se não estamos preparados como pessoa, dificilmente estaremos preparados enquanto educadores”, afirmou.

Diante de um Teatro Guararapes lotado, Schettini também soube criticar construtivamente e atentou para o risco de se estabelecer metas e padrões que não convergem com as expectativas dos próprios alunos. Ao fim da apresentação, o palestrante, autor de mais de vinte livros sobre relações interpessoais, dividiu com o público aquilo que, de acordo com ele, seria o ensinamento mais valioso de toda a palestra: “um professor apaixona quando é apaixonado pelo que faz”.


Por: Lindalva Coelho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *