“Aprendemos a dançar dançando”, Antoni Zabala no segundo dia do CITE

    PróximoAnterior

    “Aprendemos a dançar dançando”, Antoni Zabala no segundo dia do CITE

    O palco do Teatro Guararapes recebeu, na manhã desta quinta-feira (20), o educador catalão e presidente do Instituto de Recursos e Investigação para a Formação, Antoni Zabala. Sob mediação do educador José Ricardo Diniz e com o suporte das traduções simultâneas em língua portuguesa e língua brasileira de sinais (libras), Zabala conduziu a palestra “Metodologia para ensino de competências” no segundo dia do XVI Congresso Internacional de Tecnologia na Educação (CITE).

    Durante a apresentação, o educador – responsável pela maior transformação do sistema educacional espanhol pós-Franco e consultor educacional para diversos países da América Latina – defendeu um modelo de educação baseado em competências, que destaca o progresso do aluno na compreensão total dos problemas e a aplicação cotidiana dos conteúdos, entre outras prioridades. “O ensino não pode se converter a um meio. As disciplinas foram criadas primordialmente para resolver problemas e é importante que não seja a matemática pela matemática, a geografia pela geografia… O que eu aprendi não me serve se eu não souber aplicar em função das minhas demandas”, pontuou.
    Zabala ainda criticou o modelo de ensino direcionado apenas para a teoria. “Só aprendemos a dançar dançando. O erro é pensar que aquele que sabe a teoria saberá utilizá-la de maneira conveniente”, explicou. Ao final da apresentação, um espaço para perguntas foi aberto ao público.

    O professor Jailton Melo, do Recife, disse que, ao se envolver na palestra, descobriu “um novo e interessante modelo curricular”, que representa uma demanda na profissão. “Nós somos formados num modelo e agora precisamos ressignificar, nos atualizar. Isso requer um processo de formação e mudança de cultura no futuro”, afirmou.

    PróximoAnterior