Palestra debate as formas de utilização do saque do FGTS

    PróximoAnterior
    Palestra debate as formas de utilização do saque do FGTS

    Palestra debate as formas de utilização do saque do FGTS

    “O impacto do novo FGTS”. Esse foi o tema da palestra que aconteceu na sexta-feira passada (23/08), no auditório da Faculdade Senac. O evento debateu nova política de liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) a contou com a mediação de Diego Nieto, docente dos cursos de graduação da Faculdade Senac Pernambuco, além das profissionais Melissa Belmiro, consultora financeira e administradora de empresas, e Josicleide Borges, gerente de Administração de Pessoal e pós-graduada em Gestão de Negócios e Empreendimentos.

    Ao longo do bate-papo, abordou-se um pouco da história do FGTS, e as possíveis formas de utilização desse direito, bem como os caminhos que o trabalhador pode usar a partir dos valores disponíveis para saque. “O FGTS foi criado pela Lei nº 5.107, de 13 de setembro de 1966 e vigente a partir de 01 de janeiro de 1967, com o intuito de proteger o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta vinculada ao contrato de trabalho”, dispara Diego Nieto. Ele explica ainda que o trabalhador tem a chance de formar um patrimônio, e este pode ser utilizado em momentos especiais, como o da aquisição da casa própria, por exemplo.

    Os palestrantes foram unânimes em dizer que o saque só deve ser efetuado em caso da pessoa precisar pagar dívidas. Melissa Belmiro diz que o brasileiro não sabe usar o dinheiro e que esse depósito pode ser uma faca de dois gumes, caso a pessoa não saiba fazer uso correto deste benefício. “Se o trabalhador tem disciplina pra fazer outros investimentos com este saque do FGTS, pode ser até financeiramente mais rentável. Como a aplicação no tesouro Direto que chega a ser um pouco maior do que os rendimentos da poupança. Mas se o indivíduo possui uma dívida, é melhor utilizar para quitar, pois os juros de financiamentos de cartões de crédito, cheque especial são maiores do que os rendimentos do FGTS depositado em poupança”.

    Uma boa opção, segundo os palestrantes, é fazer aplicação no Tesouro Direto, que tem mais rentabilidade. Josicleide Borges destaca que a Caixa já disponibilizou um site para consulta do calendário de depósitos e saques. “Lá você pode saber quanto tem, e quanto vai receber de cada conta inativa, referente a outros empregos. E quem não tiver conta corente ou poupança na Caixa, pode fazer o saque em casa lotérica. Caso o indivíduo não queira dispor deste benefício, pode solicitar o cancelamento do crédito automático no site ou aplicativo do FGTS, assim o dinheiro permanecerá na conta. Deixar o FGTS parado na conta é oportuno apenas para quem pretende adquirir sua casa própria. E quem estiver próximo de aposentar, o melhor é não fazer uso deste saque”, dispara.

    PróximoAnterior