Primeira edição do Roda Viva Faculdade Senac traz presidente do Grupo Acripel

    Anterior

    Primeira edição do Roda Viva Faculdade Senac traz presidente do Grupo Acripel

    Ontem (09/09), foi uma noite de muitas histórias de vida. Aconteceu por aqui, a primeira edição do Roda Viva Faculdade Senac, que trouxe como convidado o presidente do Grupo Acripel, Fernando Dubeux.

    De acordo com o coordenador Carlos Polonio, a ideia do Roda Viva é trazer pessoas importantes nas áreas de administração, negócios e gestão de pessoas, e ser um espaço circular onde as pessoas fiquem mais próximas e possam expressar suas dúvidas e fazer perguntas.

    A Acripel, que possui centros de distribuição de produtos farmacêuticos, de beleza e de higiene, em vários estados do Nordeste, é uma das melhores para se trabalhar, certificada pela GPTW. Muito bem-humorado e divertido, Fernando contou sobre sua carreira, um pouco de sua história, dos projetos de sua empresa, onde os colaboradores são estimulados em programas sociais, educacionais e culturais e dos índices de educação pelo mundo.

    O aluno Eduardo Barreto comenta que a palestra foi bem instigante. “Fiquei muito surpreso, o evento superou minhas expectativas. O Fernando passou pra gente sua experiencia, de forma muito firme, com um bom humor que é fundamental, e que falta um pouco às empresas. O Roda Viva contribuiu bastante para o nosso conhecimento, tanto pra mim, que também sou do RH do Senac, quanto para os alunos presentes”. A gerente Regional Acadêmica do Ensino Superior, Christiana Santoro, acredita que trazer empresas de sucesso, para apresentar aos alunos, é uma experiência única. “Posso dizer que a palavra que resume o sucesso dessa empresa é compromisso”, destaca.

    Em meio à sua explanação, o presidente da Acripel destaca que o Brasil foi um dos países que mais cresceram nos últimos 100 anos, e fez um comparativo com outros, mostrando que apesar de seu crescimento, nosso País ainda possui alto índice de violência. “No Japão, por exemplo, são assassinadas 10 pessoas por ano, o que mostra o nível de civilidade do local”, expõe Fernando.

     

    Anterior